Jornal JF no mundo
Notícias de Juiz de Fora e do mundo
24
Janeiro
Juiz de Fora
Segunda


 

Digite o conteúdo da pesquisa:


Cada vez pior: em queda livre, Vasco sofre no returno e vê o acesso em risco
09-11-2016
Esportes
Cruz-Maltino é somente 11ª colocado na metade final da Série B, vê distância para 5º cair de 11 para dois pontos, Nenê ficar oito jogos sem marcar e jejum em São Januário

Mais do que um tropeço, um recado: o Vasco não tem mais direito ao erro na Série B. O confronto entre os rivais Avaí e Náutico ainda não coloca em risco o lugar no G-4 na próxima rodada, mas o retrospecto recente deixa todos os alertas ligados: há, sim, possibilidade real de deixar escapar um acesso que era tido como favas contadas. O empate com o Luverdense, em São Januário, piorou marcas que já eram negativas na Segunda Divisão.    

Nunca um grande perdeu tantas vezes, nunca um grande chegou a esta altura dos pontos corridos com o acesso tão em risco, Nenê ainda não tinha ficado oito jogos sem marcar no ano, o Vasco não tinha ficado três partidas sem vencer em casa, e por aí vai. Sábado, o compromisso é contra o Bragantino, fora de casa. Depois, ainda há Criciúma e Ceará, e os números mostram que não há mais espaço para vacilo. Confira:     

- Péssimo rendimento no returno   

A situação delicada na qual o Vasco se encontra está diretamente ligada ao rendimento ruim no segundo turno. Líder nas 19 primeiras rodadas com 39 pontos, o Cruz-Maltino é somente o 11º colocado, com 20. A pontuação é a mesma do 12º, o Paysandu, que leva a pior no saldo -1 a -2. Mas Brasil de Pelotas (19) e o Ceará (18) estão na cola. Queda vertiginosa de produção indicada já nas quatro primeiras rodadas, com dois pontos conquistados em 12, e graças a empates com os dois últimos colocados.

 Pior público entre candidatos ao acesso   

O empate frustrante mostrou também a falta de sintonia entre time e torcida na reta decisiva da temporada. O Vasco foi, de longe, o candidato ao acesso com pior público na noite de terça-feira. Além dos cariocas, Londrina, Náutico e Bahia jogaram em casa e tiveram mais apoio. No Paraná, 6.171 pagantes viram o Londrina perder para o Atlético-GO. Já no Nordeste, o Timbu levou 8.991 torcedores à Arena Pernambuco, enquanto o Bahia lotou a Fonte Nova: 35.658 pagantes. Em São Januário, foram somente 2.555. Marca maior somente do que na vitória sobre o Joinville (1.689 em uma noite de sexta-feira) e na derrota para o Vila Nova (2.052).

- Pior grande na Série B em pontos corridos   

A derrota para o Brasil de Pelotas, no último sábado, ampliou para dez um recorde nada honroso: grande com maior número de derrotas na Série B. O empate com o Luverdense deixou o clube também na situação mais desconfortável entre os tradicionais após a 35ª rodada na era dos pontos corridos, que teve início em 2006. Com 59 pontos e 17 vitórias, Jorginho e seus comandados podem até alegar campanha melhor do que os 59 pontos e 15 vitórias do time de Joel Santana em 2014. Na ocasião, porém, a distância para o quinto era de seis pontos e agora somente dois. O acesso corre risco real.   

- Pior colocação na Série B   

Líder por 28 rodadas, o Vasco fez o torcedor acreditar que o título era questão de tempo. Agora, é praticamente utopia. Com nove pontos a serem disputados, o Atlético-GO tem oito de vantagem. Para piorar, o Cruz-Maltino perdeu também a segunda colocação pela primeira vez. O posto agora é ocupado pelo Bahia, com os mesmos 59 pontos e 11 gols a mais de saldo. Em 2014, os vascaínos também subiram sem levantar o troféu, justamente em terceiro, com 63 pontos, na penúltima rodada.

Pior diferença para o quinto     

O terceiro tropeço consecutivo em São Januário deixou o Vasco também com a pior diferença para o quinto colocado desde o início da competição. A única vez que o primeiro time fora do grupo dos que sobem esteve a dois pontos dos cariocas foi – acreditem! - na segunda rodada, quando abriu 6 a 4 para o Goiás. Desde então, o Cruz-Maltino nunca sequer teve sua vaga no G-4 ameaçada em uma rodada - como ainda não está. O Náutico, que pega o quarto, Avaí, tem 57 contra 59 do time de Jorginho. Os pernambucanos, por sinal, eram os adversários também quando a equipe abriu a maior vantagem: 11 pontos, na 18ª rodada.

 Pior jejum de Nenê no ano   

Artilheiro vascaíno na temporada, com 20 gols, Nenê não balança as redes há oito partidas, desde o empate com o Santos pela Copa do Brasil, em 21 de setembro. É o maior jejum do camisa 10 em 2016. Se levarmos em conta somente a Série B, já são dez rodadas sem superar as defesas adversárias. Marca inimaginável no início da competição, quando o meia-atacante fez oito gols em cinco partidas. Nas 30 seguintes, foram somente quatro, sendo um de pênalti.

 Pior série sem vitórias em São Januário   

Por fim, o empate com o time do Mato Grosso representa o pior jejum de vitórias em São Januário no ano. A série começou com derrota para o CRB e teve ainda o empate por 0 a 0 com o Avaí. Até então, o Vasco tinha ficado duas partidas sem triunfar diante do torcedor em fevereiro e em junho. Primeiro, pelo Carioca, empatou com Friburguense e Botafogo. Depois, já pela Série B, perdeu para Paysandu e Paraná. A série amarga levou o Cruz-Maltino para o sétimo lugar no ranking de mandantes na competição, com 66,67% de aproveitamento, empatado com o oitavo, Brasil de Pelotas, e atrás de Bahia, Avaí, Atlético-GO, Náutico, Luverdense e Ceará

Por Cahê Mota e Sofia Miranda

 

Fotos

 

Comentários
Todos os comentário são validados.
Seus comentários serão exibidos somente após a validação.
Nome:
E-mail:
Comentário:
Desejo receber notícias.
 

 






Links úteis
Globo Imóbeis Ltda

 




Jornal JF no mundo
Notícias de Juiz de Fora e do mundo
Barbosa Lima, 135- Centro
Juiz de Fora-MG 36.010-050
E-mail: paula.jf@hotmail.com
Telefone: (32) 3213-0216 ou (32) 99967-8526
Expediente
24
Janeiro
Juiz de Fora